sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Marcus Hutchins, especialista que parou o WannaCry pode pegar 40 anos de prisão.

Marcus Hutchins, especialista que parou o WannaCry pode pegar 40 anos de prisão.
Marcus Hutchins, especialista que parou o WannaCry pode pegar 40 anos de prisão.
O jovem especialista em cibersegurança que parou o ataque cibernético global da WannaCry pode enfrentar décadas em uma prisão dos EUA, após acusações de que ele ajudou a criar e vender um software malicioso que visava contas bancárias.

Marcus Hutchins, que salvou hospitais de criminosos virtuais, pode enfrentar uma sentença máxima de 40 anos de prisão nos EUA se ele for considerado culpado das acusações.

Hutchins, que estava em uma conferência de hackers em Las Vegas, quando foi detido pelo FBI, enfrenta seis acusações de ajudar a criar, espalhar e manter o vírus bancário Kronos entre 2014 e 2015.

De acordo com a acusação do Departamento de Justiça dos EUA, as supostas infrações ocorreram entre julho de 2014 e julho de 2015.

Hutchins foi encarregado conjuntamente com outro indivíduo que não foi identificado.

A acusação alegou que Hutchins "criou o malware Kronos" e a outra pessoa mais tarde vendeu por US$ 2.000 online.

"A sentença estatutária máxima que ele poderia enfrentar é décadas, cerca de 40 anos", disse Tor Ekeland, um advogado norte-americano especializado na defesa de supostos cibercriminosos. "Ele conseguiria isso? Eu duvido, seria um resultado bizarro. É possível? Com ​​certeza". 

Hutchins deve comparecer no tribunal nesta sexta-feira (04), quando ele pode se declarar culpado ou não culpado. Se ele se declarar culpado, ele pode ser condenado a uma curta pena de prisão ou a uma liberação supervisionada. Se ele se declarar inocente, ele será transferido para Wisconsin, onde as acusações foram trazidas, para enfrentar o julgamento, que poderia começar a qualquer momento entre três meses e três anos, disse Ekeland.

"A principal coisa a fazer agora é inscrever um pedido de culpa assim que possível, levá-lo sob fiança, e então você tem espaço para respirar", disse Ekeland. 

O que ele acrescentou é "altamente provável" que a Hutchins será recusada a fiança, porque ele é estrangeiro nos EUA e pode ser considerado ele fugir do país.  

Ekeland descreveu as alegações contra Hutchins como "muito fracas". "Não há uma única alegação de que ele tenha feito algum dinheiro ou alguém derrotou", disse ele. "A acusação é muito fraca. É legalmente bizarra e há poucos detalhes".

Hutchins foi preso em um aeroporto de Las Vegas na quarta-feira (02) pouco antes de ele voltar em um vôo para o Reino Unido

O malware Kronos foi espalhado por e-mails com anexos maliciosos e permitiu que os usuários roubassem dinheiro usando credenciais, como senhas bancárias na internet. Foi supostamente vendido no mercado da Web Dark AlphaBay, que o governo dos EUA encerrou no final de julho

As alegações não estão relacionadas com o ataque WannaCry, ele foi creditado com a suspensão, de acordo com um oficial dos EUA.





> Comunidade Brasileira de Sistemas de Informação
> Fundada em 13 de Outubro de 2011
> E-mail: comunidadebsi@gmail.com
> Cel: +55 92 99329-7545
> Local: Manaus, Amazonas, Brasil.

> Cláudio Florenzano, Diretor Executivo.
> E-mail: c.luciano20@gmail.com

‍



Geeks Online: