terça-feira, 14 de abril de 2020

5 dicas de profissionais de TI para adaptação do trabalho remoto

5 dicas de profissionais de TI para adaptação do trabalho remoto
5 dicas de profissionais de TI para adaptação do trabalho remoto
Nas últimas semanas vimos um boom no trabalho remoto enquanto o surto do novo coronavírus se alastrava pelo globo. Pessoas alocavam seus escritórios em suas casas, à medida que governos orientavam a população ao isolamento social.

O aumento do tráfego web e recorde de usuários em plataformas de conversa on-line mostrou como seriam as próximas semanas de trabalho de milhões de pessoas. 

Existem muitos desafios na adaptação dessa nova rotina de trabalho em caráter emergencial, os quais organizações e equipes de TI precisam enfrentar. Para ajudar, o TechRepublic fez uma curadoria com uma série de dicas de profissionais de tecnologia de toda a indústria. 

Não tenha medo de reinventar seus fluxos de trabalho 

Em um momento como esse, com grande parte – ou toda – equipe trabalhando remotamente, organizações precisaram olhar com mais atenção à sua infraestrutura tecnológica, se deparando, por vezes, com protocolos e procedimentos em vigor pouco eficientes.  

"A maioria das empresas presume que seus fluxos de trabalho e infraestrutura precisam ser otimizados na configuração de trabalho usual da empresa. Agora, de repente, todos os funcionários remotos definem parte da infraestrutura. Quase todo processo funciona de maneira diferente in loco e remoto. Tomemos, por exemplo, o típico suporte técnico, que poderia ser oferecido no local para os funcionários – ‘precisa ser virtual agora e imediatamente agora’", explicou o CEO e Fundador da Back Technologies, Christian Eggert. 

Se organize e aceite os desafios 

Para algumas empresas, o foco inicial é diretamente sobre soluções paliativas e para endireitar o navio ao caminho certo. 

"Tem que haver outra onda de acerto de contas no planejamento e na execução que acho que a indústria ainda não está levando em consideração, porque isso realmente foi um choque para o sistema", explicou Steve Stover, Vice-Presidente da SolarWinds, provedora de soluções de ITSM. "Manter as empresas funcionando é meio que a primeira fase e, em seguida, a segunda fase é descobrir o que [o impacto] vai significar", acrescentou Stover.  

Gerenciando o aumento da demanda 

Depois que as empresas identificam soluções de curto prazo, é imperativo se concentrar no dimensionamento dessas operações a longo prazo. Isso envolve tudo, desde a atualização de ferramentas de gerenciamento de tarefas obsoletas e a simplificação das ferramentas de comunicação da empresa, até medidas de segurança aprimoradas.  

Sistemas de gerenciamento de tarefas ineficientes podem ser um empecilho para as equipes de TI e para toda a organização. “Há tanta demanda, então, como você lida com isso e efetivamente garante que está atendendo seus clientes corretamente? Você terá um aumento e um tipo de demanda que não esperava antes, portanto, garantir que você tenha processos nessa escala será a chave", disse Stover ao site. 

É essencial simplificar o sistema de gerenciamento de tarefas com programas mais sofisticados e oferecer aos funcionários métodos flexíveis de comunicação com o suporte técnico. Stover orientou ainda a criação de soluções de autoatendimento, uma etapa básica que pode aliviar parte desse estresse nas equipes de TI, permitindo que os funcionários se ajudem com alguns problemas comuns. 

Políticas para falhas e continuidade de negócios 

O aumento do trabalho remoto torna as organizações mais vulneráveis a ações maliciosas. "As organizações precisam entender que dados mais confidenciais serão armazenados e disponibilizados por uma força de trabalho remota. Você não deseja vazamento intencional ou não intencional de dados, o que pode exigir novos controles em terminais remotos e aplicativos em nuvem", explicou Rob Davis, Fundador e CEO da CRITICALSTART. 

Como resultado, mais empresas buscam VPNs para reforçar a segurança da rede. Além disso, existem outras medidas básicas que as empresas podem adotar, como o estabelecimento de autenticação multifatorial e proteção de logon único, mas, ainda assim, as empresas devem ter uma estratégia de resposta em caso de violação. 

"Planeje a falha. A maioria das violações é causada por erro humano, e as pessoas mais bem-intencionadas ainda cometem erros. Tenha um plano de resposta a incidentes que seja atualizado para funcionar nesse novo ambiente", afirmou Davis. 

O novo normal 

"A falta de rotinas e limites entre trabalho e vida pessoal pode causar ansiedade e estresse. A multitarefa é a desgraça do mundo de hoje e, além disso, do trabalho remoto. Estar presente, realmente presente, é um desafio", disse a Diretora de Tecnologia da ISACA, Simona Rollinson. 

Rollinson pede compreensão nesse momento de transição, em que colaboradores se ajustam às novas rotinas de trabalho em suas casas. O processo pode ser estressante para todos. Para as equipes de TI, conectar centenas de pessoas em uma rede remota e atualizá-las pode não ser, também, uma tarefa fácil. Uma das dicas mais básicas que indivíduos e equipes de TI podem implementar é um nível básico de paciência e compreensão durante esse período caótico. 

"As equipes de TI devem se lembrar de que não há problema em o serviço ser ‘bom’ durante esse período turbulento, e então o foco deve ser gradualmente melhorar dia a dia, à medida que todos se ajustam ao trabalho remoto", explicou. 




> Comunidade Brasileira de Sistemas de Informação
> Fundada em 13 de Outubro de 2011
> E-mail: comunidadebsi@gmail.com
> Cel: +55 92 99329-7545
> Local: Manaus, Amazonas, Brasil.

> Cláudio Florenzano, Diretor Executivo.
> E-mail: c.luciano20@gmail.com

‍



Geeks Online: