segunda-feira, 4 de novembro de 2019

Guia Salarial da TI 2020: confira cargos e competências em alta

Guia Salarial da TI 2020: confira cargos e competências em alta
Guia Salarial da TI 2020: confira cargos e competências em alta
O mercado para profissionais de tecnologia está em alta. Considerando que estimativas indicam que há 250 mil vagas abertas no setor, que não são preenchidas em razão da falta de talentos qualificados, essa é uma oportunidade para ingressar e se destacar no segmento.

Na análise da empresa de executive search Robert Half, a transformação digital e os frequentes avanços da tecnologia em todas as áreas e indústrias têm aumentado a competitividade das empresas, a disputa por vagas de trabalho e a exigência do aprendizado contínuo.

“Aos profissionais, fica o alerta de cuidarem também das habilidades comportamentais e de participarem proativamente de grupos de trabalho, buscando agregar mais valor para a função que executam, a área, os negócios e a empresa, além, é claro, de se manterem atualizados quanto às tendências em tecnologia”, indica Fernando Mantovani, diretor-geral da Robert Half.

Perfil dos talentos de TI em 2020

Segundo a Robert Half, em 2020 as empresas vão caçar talentos pró-ativos e que busquem conhecimentos por conta própria. Além disso, revela a empresa, o profissional que atua em TI está mais preocupado em se sentir conectado ao propósito do negócio do que em ser motivado tradicionalmente por cargo, salário ou benefícios. Ele deseja estar à frente da tecnologia, o que faz com que rejeite propostas de organizações que atuem com linguagens ultrapassadas, independentemente da remuneração oferecida.

A empresa destaca em seu Guia Salarial anual cinco competências comportamentais que estarão em alta. Confira:

• Domínio do idioma inglês • Agilidade • Foco em resultado • Visão estratégica • Boa comunicação • Capacidade de se atualizar rapidamente

Salários em TI

Profissionais que atuam com big data/analytics continuarão a ter o maior salário entre os talentos de tecnologia. Para aquele que têm menor experiência no nível de especialista iniciam com um salário médio de R$ 13,1 mil, podendo a chegar a R$ 26,7 mil. Analistas júnior começa com um salário de R$ 3.850, podendo a chegar a R$ 7.850.

Já para os desenvolvedores, o salário inicial de um desenvolvedor back-end júnior começa com R$ 3,1 mil e pode chegar a R$ 6,3 mil. Desenvolvedores ful-stack sênior chegarão a ganhar R$ 16,5 mil em 2020.

Confira os salários de talentos das áreas de redes, ERP/CRM, suporte técnico, segurança da informação, aplicações e engenharia de software no Guia Salarial 2020.




> Comunidade Brasileira de Sistemas de Informação
> Fundada em 13 de Outubro de 2011
> E-mail: comunidadebsi@gmail.com
> Cel: +55 92 99329-7545
> Local: Manaus, Amazonas, Brasil.

> Cláudio Florenzano, Diretor Executivo.
> E-mail: c.luciano20@gmail.com
> Facebook:

‍



Geeks Online: