Concursos de TI

[Concursos%20de%20TI][bleft]

APOSTILAS

[Download][bsummary]

DICAS

[Dicas%20TI][twocolumns]

CIÊNCIA E TECNOLOGIA

[Ciência%20e%20Tecnologia][twocolumns]

SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

[Segurança%20da%20Informação][bleft]

Intel mostra porque é importante a participação das mulheres na TI.

Intel defende inclusão das mulheres em TI como caminho do desenvolvimento.
Intel defende inclusão das mulheres em TI como caminho do desenvolvimento.
É essencial ampliar o acesso das mulheres ao segmento de tecnologia da informação”, enfatiza Rosangela Melatto, gerente de responsabilidade social da Intel para a América Latina. A executiva escreveu um artigo reforçando a presença feminina no setor de TI.

No texto, ela reforça que organizações com maior participação feminina em seus grupos gerenciais registram um retorno do investimento acima de 34%, maior do que aquelas empresas sem a participação feminina.

A proporção de homens e mulheres no mercado de trabalho ainda é desigual. Em 2013, a relação entre a população total de homens e a quantidade deles com empregos ficou em 72%, enquanto que esta população entre as mulheres foi de 47%.

Rosangela cita uma estimativa que aponta que, em todo o mundo, as mulheres poderiam aumentar sua renda em até 76% se superassem a brecha na participação no emprego formal e a diferença salarial entre homens e mulheres.

A pobreza e aspectos jurídicos, institucionais, políticos e culturais fazem com que muitas mulheres e meninas em todo o mundo não tenham acesso à educação”, lista a gerente.

Quanto mais conhecimento é adquirido pelas mulheres, maior será a possibilidade de que elas se convertam em uma força motriz da inovação e do desenvolvimento econômico, e que possam transformar seu próprio mundo e criar um futuro melhor para as pessoas ao seu redor.

Na América Latina, os desafios e riscos que elas enfrentam hoje são numerosos: por exemplo, algumas delas encontram-se em situações precárias, sem perspectivas positivas para o futuro e sem desenvolvimento pessoal ou profissional.

Apesar das estatísticas, ainda existem números pouco favoráveis para as mulheres, pois uma em cada quatro meninas dos países em desenvolvimento não frequenta a escola e elas ainda são minoria no que diz respeito ao uso da Internet”, ilustra.

A executiva ressalta que esta desigualdade também é palpável no segmento tecnológico, no qual existem menos mulheres já que elas são muito pouco incentivadas a se desenvolverem em um segmento que tradicionalmente tem sido dominado por homens.

Por esta razão, é necessário realizar ações concretas que ajudem as jovens mulheres a começarem cedo a sua preparação para uma carreira profissional em tecnologia e garantir sua inclusão no segmento.


AUTOR: CLÁUDIO FLORENZANO: É graduado em Gestão da TI e Pós-graduando em Segurança da Informação. Fundador e CEO da Comunidade Brasileira de Sistemas de Informação. Clique no botão "acompanhar" e siga-me no Facebook:
| Twitter: @claudioluciano | E-mail: c.luciano20@gmail.com

Compartilhe:

Comente com o Facebook: