quarta-feira, 11 de outubro de 2017

PF tenta 810 bilhões de ataques de força bruta mas não quebra senha de arquivos.

PF tenta 810 bilhões de ataques de força bruta mas não quebra senha de arquivos.
PF tenta 810 bilhões de ataques de força bruta mas não quebra senha de arquivos.
Após 810 bilhões de tentativas frustradas, a Polícia Federal encerrou relatório sem conseguir acessar arquivos dos operadores Jorge e Bruno Luz, que confessaram pagamento de R$ 11,5 milhões em propinas a peemedebistas oriundos de contratos da Petrobrás. A perícia sobre os documentos, que foram entregues pela própria defesa dos empresários, se encerrou após oito dias ininterruptos de testes com o fim de descriptografar arquivos referentes às offshores usadas por eles para o intermédio de vantagens indevidas.

A defesa de Luz entregou ao juiz Sérgio Moro dois arquivos criptografados com os nomes CT Pentag ram vs Cap Dupell – Schahin.pdf.pgp e CT Pentag ram vs Casablanca – Schahin (com carta de aceite).pdf.pgp, e admitiu que não conseguia abrir em razão da senha que os protegia. Os defensores pediram perícia sobre os documentos.

Moro ponderou que ‘o conteúdo dos arquivos, dois contratos entre off-shores da Schahin com off-shore de Jorge e Bruno Luz, não parece fundamental para o julgamento, uma vez que os envolvidos confessaram, em princípio, os fatos’, mas , mesmo assim encaminhou ‘a mídia à Polícia Federal solicitando que seja verificada a possibilidade de acessar os arquivos e devolvê-los sem criptografia até 14/08’.

Em relatório ao magistrado, o perito criminal Henrique Bogo comunicou que os arquivos do operador ‘foram processados no cluster de alto desempenho disponível neste SETEC/PR’ , que é capaz de efetuar ‘grande quantidade de cálculos matemáticos e possibilita, com a utilização de aplicativos específicos, a realização de ataques criptográficos ou por força bruta em arquivos cifrados’.

“Foram realizados ataques de força bruta e com dicionários disponíveis no aplicativo de quebra de senhas. Estes ataques foram realizados por cerca de 8 dias, totalizando cerca de 810.000.000.000 (oitocentos e dez bilhões) de combinações distribuídas entre todos os arquivos, porém sem sucesso”, concluiu. - Com informações do Estadão.




> Comunidade Brasileira de Sistemas de Informação
> Fundada em 13 de Outubro de 2011
> E-mail: comunidadebsi@gmail.com
> Cel: +55 92 99329-7545
> Local: Manaus, Amazonas, Brasil.

> Cláudio Florenzano, Diretor Executivo.
> E-mail: c.luciano20@gmail.com
> Facebook: