Concursos de TI

[Concursos%20de%20TI][bleft]

APOSTILAS

[Download][bsummary]

DICAS

[Dicas%20TI][twocolumns]

CIÊNCIA E TECNOLOGIA

[Ciência%20e%20Tecnologia][twocolumns]

SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

[Segurança%20da%20Informação][bleft]

17 mulheres cientistas da Microsoft fazem 17 previsões do que será da tecnologia em 2027.

17 mulheres cientistas da Microsoft fazem 17 previsões do que será da tecnologia em 2027.
17 mulheres cientistas da Microsoft fazem 17 previsões do que será da tecnologia em 2027.
A Microsoft pediu que 17 mulheres membros de sua divisão de pesquisas fizessem previsões para o ano de 2027. O intuito da companhia é tentar imaginar como diversos avanços tecnológicos vão modificar a maneira como lidamos com tarefas cotidianas na próxima década.

A iniciativa foi batizada como "17 for '17" e também inclui algumas estimativas do que pode se popularizar no setor tecnológico já no próximo ano. Veja as ideias apresentadas:

1. Fim dos buscadores tradicionais

A cientista Susan Dumais, que trabalha nos escritórios de Redmond, acha que a utilização de assistentes, tanto em smartphones quanto em PCs estará mais popularizada nos próximos 11 anos. Ou seja, as mudanças que o Google planeja para o seu buscador podem ser inócuas. Disse ela:

"A caixa de pesquisa desaparecerá. Ele será substituído por uma funcionalidade de pesquisa mais onipresente, incorporada e contextualmente sensível. Estamos vendo o início desta transformação com consultas faladas, especialmente em ambientes móveis e casa inteligente. Esta tendência irá acelerar com a capacidade de emissão de consultas consistindo em som, imagens ou vídeo."

2. Uma nova indústria

Sara-Jane Dunn, cientista lotada no escritório de Cambrige, acredita que o avanço da tecnologia irá beneficiar a criação de um novo tipo de economia. A codificação e tecnologias irão ser aplicadas em diferentes indústrias.

"Em 10 anos vamos desenvolver indústrias inteiramente novas e aplicações em áreas que vão desde a agricultura e medicina à energia, materiais e computação. Enquanto os últimos 50 anos foram totalmente transformados pela capacidade de programar em silício, estaremos entrando na próxima revolução de programação: A era do software vivo."

3. Popularização dos dispositivos de VR

Mar Gonzales Franco acredita que já em 2017, os dispositivos de Realidade Virtual (VR, na sigla em inglês) se popularização pelo mundo. A pesquisadora que trabalha em Redmond, no entanto, vê um avanço absolutamente incrível nesta mesma área daqui 11 anos.

"Em 2027, teremos sistemas de Realidade Virtual onipresentes que fornecerão experiências multisensoriais tão ricas que serão capazes de produzir alucinações que misturam ou alteram a realidade percebida. Usando esta tecnologia, os seres humanos vão treinar, recalibrar e melhorar seus sistemas perceptivos. Em contraste com os atuais sistemas de realidade virtual que apenas estimulam os sentidos visuais e auditivos"

4. União de cientistas sociais e cientistas da computação

Mary L. Gray, pesquisadora sênior, Nova Inglaterra, acha que as redes sociais serão melhores do que vimos hoje em dia. Ela crê que cientistas sociais e cientistas da computação se unirão para desenvolver novos métodos que mapeiem e evitem as tais "bolhas de filtro" já em 2017. Para os próximos anos, ela disse o seguinte:

"Em 2027, quase 30% dos adultos nos Estados Unidos fará alguma forma de trabalho remoto (...) As ciências sociais desempenharão um papel fundamental no desenvolvimento de tecnologias e políticas públicas para uma nova rede de segurança social de benefícios portáteis para atender às necessidades de uma força de trabalho do século 21."

5. Inteligência Artificial vai salvar o mundo

Katja Hofmann, pesquisadora em Cambridge, ressaltou que a Inteligência Artificial (AI, em inglês) começará a chegar nos videogames já em 2017 e que os consoles, inclusive, ajudarão a desenvolver essa tecnologia. No entanto, em 2027 ela já ajudará a automatizar várias funções:

"AI está progredindo muito rapidamente. Tem um grande potencial para capacitar as pessoas e nos ajuda a enfrentar os principais desafios globais. Para mim, o tópico mais importante de discussão é como garantir que até 2027 esses avanços e grande potencial se traduzam em tecnologia de IA que resulte no maior benefício possível para a sociedade."

6. Uma nova economia automatizada

Pesquisadora sênior no laboratório da Microsoft na Nova Ingalterra, Nicole Immorlica acredita em uma economia muito diferente (ao menos nos países ricos).

" Em 2027, a automação dará origem a uma nova economia em que a contribuição social da maioria das pessoas vem dos dados que eles geram à medida que vão sobre suas vidas, em vez do trabalho que eles fazem. Os economistas estarão falando sobre maneiras de compensar de forma justa as pessoas por essas contribuições. Isto provavelmente envolverá redistribuição mais pesada da riqueza através de mecanismos como impostos ou programas sociais."

7. Criptografia de dados

A criptografia de dados irá se consolidar em 2017, acredita Kistin Lauter, pesquisadora do laboratório de Redmond.

"Novas soluções matemáticas que permitam a computação em dados criptografados serão implantadas para proteger a privacidade de dados médicos e genômicos para pacientes e hospitais. Os novos esquemas de criptografia homomórficos protegerão os dados, permitindo que a nuvem computa sobre ele para fazer previsões de risco úteis e fornecer análises e alertas. Criptografia homomórfica será implantada em breve no setor financeiro para proteger dados bancários sensíveis."

Para 2027, ela prevê um avanço maior ainda na proteção de dados graças aos computadores quânticos.

"Em 2027, teremos um computador quântico capaz de quebrar pelo menos sistemas criptográficos tradicionais de baixa resistência. Para a proteção de dados a longo prazo, uma primeira onda de criptosistemas pós-quânticos já está em desenvolvimento com base em problemas difíceis recentemente propostos em matemática. Com avanços em técnicas matemáticas e algoritmos, em 10 anos veremos uma segunda onda de soluções criptográficas pós-quânticas com novas propostas e ataques a propostas existentes."

8. Engenharia de software facilitada

Kathryn S. McKinley, pesquisadora do laboratório de Redmond, prevê que a comunidade de linguagem de programação deve ser apresentada a grandes novidades até o fim de 2017, muito embora não tenha especifica quais. Mas, em 2027, fazer um software será muito mais fácil que hoje em dia. Ela disse:

"Em 2027, a maioria dos engenheiros de software será fácil em sistemas de programação que raciocinar sobre estimativas e produzir modelos com métodos estatísticos. Esta mudança de mar irá entregar aplicações que integram perfeitamente sensores, aprendizado de máquinas e aproximação para interagir com seres humanos de maneiras inteiramente novas, significativas e corretas."

9. Autonomia de crianças com deficiências visuais

Cecily Morrison, pesquisadora em Cambridge, acha que as pessoas com deficiências visuais serão muito beneficiadas com as pesquisas em andamento da companhia já em 2017. Para o futuro, as coisas ficarão mais integradas.

"Todas as crianças, incluindo as pessoas com deficiência, terão ferramentas apropriadas para aprender a codificar. Adicionar 20 anos e as crianças com deficiência trará sua experiência única do mundo para mudar a paisagem da tecnologia."

10. Criptografia para todos os lados

Olya Ohrimenko, pesquisadora de Cambridge, acredita no avanço de ferramentas de segurança no próximo ano, o que deverá ser observado de forma já consolidada em na próxima década.

"Avanços em hardware e criptografia elevarão as garantias de privacidade de dados a um novo nível: somente uma forma criptografada de nossos dados pessoais será usada em análises médicas e administrativas, algoritmos de aprendizado de máquina e nossas atividades diárias on-line."

11. A hora e a vez dos assistentes pessoais

Oriana Riva, pesquisadora do laboratório de Redmond, acredita que 2017 será o ano para os chatsbots e assistentes digitais pessoais, como a Cortana.

"O principal avanço na computação móvel em 2027 será uma relação significativamente expandida com o mundo digital, abrangendo quase qualquer "coisa" que existe em nosso entorno. Vamos nos envolver com sistemas inteligentes e pessoais que realmente nos entendem, que podemos confiar e que nos conhecem bem o suficiente para antecipar e servir nossas necessidades."

12. A tecnologia vai para o campo

Asta Roseway, principal designer de pesquisa de Redmond, acha que em 2017 a sociedade verá o início de esforços em torno da Internet das coisas para a agricultura, incluindo uma fusão de sensoriamento onipresente, capacidades de visão computacional e armazenamento em nuvem para maximizar a aprendizagem e análise de máquinas. Em 2027, a coisa ficará muito mais avançada:

"Os agricultores aproveitarão as capacidades de streaming de inteligência artificial para manter produções saudáveis, independentemente das mudanças climáticas, da seca e do desastre. O futuro dos alimentos depende da nossa capacidade de preservar e melhorar o uso dos recursos chave do nosso planeta e reduzir o solo sobre-cultivado, passando das práticas agrícolas tradicionais para alternativas de baixa energia, como a agricultura vertical."

13. Novo jeito de fazer hardware

Karin Strauss, pesquisadora sênior do laboratório de pesquisa de Redmond, acredita em novidades no setor de hardware nos próximos meses, mas que a nuvem irá se consolidar em vez. As câmeras com gravação de 360 graus serão a novidade de 2017 na visão da pesquisadora.

"De agora a 2027, assistiremos a uma série de novas tecnologias que se afastam de escalonamento de silício regular. Nanotubos de carbono e outras técnicas de fabricação em escala molecular, novas arquiteturas, como aquelas que executam computação mais próxima dos dados (próximo ao processamento de dados) e novos paradigmas de computação e armazenamento, como computadores quânticos e drives de armazenamento de DNA, podem se tornar realidade comercial."

14. Computadores onipresentes

Xiaoyan Sun, pesquisadora principal do laboratório da Ásia, acredita que a qualidade de imagem das tecnologias deixarão todo mundo de boca aberta

"Em 2027, a capacidade de "ver" os computadores será onipresente, pois teremos dispositivos de imagem altamente desenvolvidos, poderosos recursos de computação e técnicas combinadas de aprendizagem profunda e ampla. Avanços nessas técnicas levarão a visão ubíqua "olhos" que podem "ver" e capacitar os seres humanos na vida diária e todos os tipos de profissões, desde a fabricação e cuidados de saúde para finanças e segurança."

15. Dados

Dongmei Zhang, gerente de pesquisa principal na Ásia, acredita no crescimento do big data até 2027.

"Os indivíduos serão capazes de usar mecanismos naturais de interação, como a linguagem natural, para obter informações amplas e aprofundadas sobre vários aspectos de suas vidas de uma maneira fácil e contínua."

16. Algoritmos "mais robustos"

Jennifer Chayes, cientista e diretora administrativa de laboratórios de pesquisa em New England e New York City, disse que em 2017 a aprendizagem de máquinas estará muito mais afiada e com "algoritmos mais robustos".

"Nossas vidas estão sendo aprimoradas tremendamente por inteligência artificial e algoritmos de aprendizagem de máquina. No entanto, os algoritmos atuais muitas vezes reproduzem a discriminação e injustiça em nossos dados e, além disso, estão sujeitos a manipulação pela entrada de dados enganosos. Um dos grandes avanços algorítmicos da próxima década será o desenvolvimento de algoritmos que sejam justos, responsáveis ​​e muito mais robustos à manipulação."

17. Robôs poliglotas

Kalika Bali, pesquisadora do laboratório da Índia, acredita em linguagens poliglotas em toda internet em 2017, como exemplo das traduções simultâneas de várias ferramentas, como o Skype.

"Os modelos de linguagem estarão profundamente enraizados em modelos cognitivos que permitem que os sistemas de inteligência artificial raciocinem e se comuniquem com os seres humanos sem esforço, movendo-se e adaptando-se a diferentes situações sociais, negociando, debatendo e persuadindo, assim como os humanos.".

Fonte: Tudo Celular



AUTOR: CLÁUDIO FLORENZANO: É graduado em Gestão da TI e Pós-graduando em Segurança da Informação. Fundador e CEO da Comunidade Brasileira de Sistemas de Informação. Clique no botão "acompanhar" e siga-me no Facebook:
| Twitter: @claudioluciano | E-mail: c.luciano20@gmail.com

Compartilhe:

Comente com o Facebook: